Notícia

Simples Nacional: Tudo o que optantes pelo Simples precisam saber

quarta, 13 de fevereiro de 2019
Ser optante pelo Simples facilita e simplifica o pagamento de impostos e tributos dos micro e pequenos empresários que optam por este regime

O Simples é um regime tributário criado há pouco tempo. Ser optante pelo Simples facilita e simplifica o pagamento de impostos e tributos dos micro e pequenos empresários que optam por este regime. O Simples unifica em uma só guia o pagamento de tributos federais, estaduais e municipais.

O sistema ainda oferece certas vantagens para o empresário que escolhe pagar os seus tributos dessa forma já que o regime foi criado justamente para estimular a criação e manutenção das pequenas empresas. Isso porque, embora ainda seja difícil manter uma pequena empresa aberta e funcionando, há pouco tempo era ainda mais difícil.

A falta de incentivos por parte do Governo e os altos impostos prejudicavam o crescimento destes pequenos negócios, levando muitos à falência ainda em seu primeiro ano.

Como muitos dos empregos gerados no país são criados pelos microempresários, partiu da União a iniciativa de se criar vantagens para a sobrevivência destas empresas, diminuindo os impostos e reduzindo muito a burocracia que envolvia os processos de pagamento desses tributos.

Para que você entenda um pouco mais sobre o que são estas vantagens e como tornar o seu negócio em uma empresa optante pelo Simples, nós criamos este artigo, que vai explicar cada um dos benefícios desse regime e mostrar o passo a passo para que você cadastre o seu negócio nesse sistema.

O que é uma empresa optante pelo Simples

Optante pelo Simples é aquela empresa que escolheu ingressar no regime do Simples. Este regime tributário diferenciado foi criado em 1996 e contempla empresas que têm limite de receita bruta anual de até R$ 4,8 milhões por ano. Esse regime garante que as micro e pequenas empresas tenham vantagens e benefícios no pagamento dos impostos federais, estaduais e municipais que, para a empresa optante pelo Simples se tornou unificado em uma só guia com vencimento em uma única data.

O que é o Simples Nacional

O Simples Nacional é um acrônimo de Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Como dissemos lá em cima, O Simples é um regime tributário que veio para facilitar a vida do micro e pequeno empresário, que a partir do momento em que torna a sua empresa optante pelo Simples passa a pagar seus impostos de maneira unificada, além de ter outras vantagens.

Por ter sido criado para facilitar e simplificar a abertura e sobrevivência das pequenas empresas, o Simples tem uma alíquota diferenciada para a empresa optante pelo Simples. Antes da criação deste regime, as pequenas empresas pagavam, em grande parte, os mesmos impostos que outras com um tamanho maior.

 

Depois que a empresa se torna optante pelo Simples Nacional ela passa a pagar impostos proporcionais à sua realidade de pequena empresa e ao seu faturamento.

DAS Simples

O DAS Simples é a sigla para Documento de Arrecadação do Simples Nacional e, como o nome indica, esse é o documento que a empresa optante pelo Simples usa para pagar os seus impostos de maneira unificada. O Simples abarca nesta única via, o pagamento dos seguintes tributos:

  • Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ)
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL)
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins);
  • Contribuição para o PIS/Pasep;
  • Contribuição Patronal Previdenciária (CPP);
  • Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS);
  • Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

Os valores recolhidos são enviados para um sistema que é gerenciado pelo Banco do Brasil, que por sua vez, repassa o valor devido para o município, para o estado e para a União.

Optante pelo Simples e MEI

Muitos empresários se perguntam qual dos sistemas é mais vantajoso para a sua empresa e a resposta, é claro, está nas tributações.

Vale dizer que para quem é Microempresário Individual – MEI se tornar optante pelo Simples é opcional. Isso porque, o MEI já paga uma carga de tributos reduzida. São somente três impostos cobrados, contra os oito que são tributados ao optante pelo Simples.

 

E neste caso, vale ressaltar, que há muitas vantagens oferecidas pelo sistema simplificado que é o MEI. Uma delas é continuar pagando seus tributos por meio do DAS. Outra é a burocracia diminuída, os custos menores para abrir e também para dar baixa em uma empresa pelo sistema.

Para se ter uma idéia, basta observar que a abertura de uma empresa nesse sistema é gratuita, assim como a baixa dela. Além disso, o MEI tem direito a um CNPJ, que é gerado automaticamente quando ele ingressa no regime.

O MEI também paga valores fixos, independente do seu nível de faturamento, no seguinte esquema:

  • Comércio e indústria: R$ 48,70;
  • Serviços: 52,70;
  • Comércio e serviços: 53,70.

Por isso, analise as vantagens de cada regime e converse com o seu contador para decidir qual é o sistema que mais se encaixa nas necessidades da sua empresa.

Como tornar sua empresa optante pelo Simples

Como a gente disse lá em cima, para se tornar optante pelo Simples a empresa tem que ter faturamento máximo anual de até R$ 4,8 milhões Nessa categoria de faturamento se encaixam negócios como as Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP).

Mas a regra não é só essa. Só pode se tornar optante pelo Simples a empresa que tem:

 
  • Faturamento limitado a R$ 4,8 milhões por ano;
  • Empresas sem débitos com o INSS;
  • Empresas regulares quanto aos cadastros fiscais;
  • Quem não exerce atividade com serviços financeiros;
  • Quem não presta serviços de transporte, exceto serviços de transporte fluvial;
  • Quem não importa combustíveis;
  • Quem não fabrica veículos;
  • Quem não distribui ou gera energia elétrica;
  • Quem não realiza locação de imóveis próprios e nem trabalha com loteamento e incorporação de imóveis;
  • Quem não atua com cessão ou locação de mão de obra;
  • Quem não produz ou vende no atacado cigarros e assemelhados, armas de fogo, refrigerantes e bebidas alcoólicas (exceto pequenos produtores);
  • Pessoas jurídicas que não tenham sócio no exterior;
  • Quem não possui capital em órgãos públicos, independente de ser direto ou indireto.

Se a sua empresa cumpre os requisitos necessários, é hora de checar em que categoria ela se encaixa na tabela de Classificação Nacional de Atividades Econômicas, ou CNAE, que você pode encontrar aqui.

Em 2007 a lei que rege o regime do Simples sofreu alterações e passou a aceitar novas categorias de empresas no Simples Nacionalcomo dissemos aqui. Além de saber esses dados, também é necessário que o empresário conheça os limites de lucros e tributações específicas à sua empresa. Veja a tabela do Simples Nacional abaixo:

Anexo I do Simples Nacional

Refere-se às empresas de comércio.

Receita Bruta Total Alíquota Qual o valor a ser descontado
Até R$ 180.000,00 4% 0
De 180.000,01 a 360.000,00 7,3% R$ 5.940,00
De 360.000,01 a 720.000,00 9,5% R$ 13.860,00
De 720.000,01 a 1.800.000,00 10,7% R$ 22.500,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 14,3% R$ 87.300,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 19% R$ 378.000,00

Anexo II do Simples Nacional

Refere-se às fábricas e indústrias.

Receita Bruta Total Alíquota Qual o valor a ser descontado.
Até R$ 180.000,00 4,5% 0
De 180.000,01 a 360.000,00 7,8% R$ 5.940,00
De 360.000,01 a 720.000,00 10% R$ 13.860,00
De 720.000,01 a 1.800.000,00 11,2% R$ 22.500,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 14,7% R$ 85.500,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 30% R$ 720.000,00

Anexo III do Simples Nacional

Refere-se às empresas que oferecem serviços de instalação, reparos e manutenção, além de agências de viagens, escritórios de contabilidade, academias, laboratórios, empresas de medicina e odontologia.

 
Receita Bruta Total Alíquota Qual o valor a ser descontado.
Até R$ 180.000,00 6% 0
De 180.000,01 a 360.000,00 11,2% R$ 9.360,00
De 360.000,01 a 720.000,00 13,5% R$ 17.640,00
De 720.000,01 a 1.800.000,00 16% R$ 35.640,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 21% R$ 125.640,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 33% R$ 648.000,00

Anexo IV do Simples Nacional

Refere-se às empresas que fornecem serviço de limpeza, vigilância, obras, construção de imóveis e serviços advocatícios.

Receita Bruta Total Alíquota Qual o valor a ser descontado.
Até R$ 180.000,00 4,5% 0
De 180.000,01 a 360.000,00 9% R$ 8.100,00
De 360.000,01 a 720.000,00 10,2% R$ 12.420,00
De 720.000,01 a 1.800.000,00 14% R$ 39.780,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 22% R$ 183.780,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 33% R$ 828.000,00

Anexo V do Simples Nacional

Destina-se a empresas que prestam serviço de auditoria, jornalismo, tecnologia, publicidade, engenharia e outros.

Receita Bruta Total Alíquota Qual o valor a ser descontado.
Até R$ 180.000,00 15,5% 0
De 180.000,01 a 360.000,00 18% R$ 4.500,00
De 360.000,01 a 720.000,00 19,5% R$ 9.900,00
De 720.000,01 a 1.800.000,00 20,5% R$ 17.100,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 23% R$ 62.100,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 30,5% R$ 540.000,00

De posse destas informações, basta acessar o Portal do Simples e solicitar o seu cadastro. Recomendamos sempre que o empresário faça todo esse processo com a ajuda e assistência de seu contador de confiança.

A solicitação para se tornar optante pelo Simples só pode ser feita entre o primeiro e o último dia de janeiro de cada ano, no entanto, é possível efetuar um pré-cadastro no Portal e solicitar antecipadamente o seu cadastramento.

Dica: Atenção você contador ou estudante de contabilidade, conheça nosso treinamento voltado para contadores iniciantes, ensinando na prática procedimentos contábeis que todo contador precisa saber, mas que não se ensina na faculdade.

Tudo que você precisa saber para saber para abrir, alterar e encerrar empresas, além da parte fiscal de empresas do Simples Nacional, Lucro Presumido e MEIs, Contabilidade, Imposto de Renda. Quer saber mais? Então clique aqui e não perca esta oportunidade!

Conteúdo original via Quanto Sobra

Fonte: